Home

Exhibitions

Artists

Collection

Gallery

Shop

Carlos Andrade


pele da minha pele


É uma reflexão sobre a minha relação com o mármore na minha pratica artística, da forma como e se apropriou do meu organismo, da mente, e me transformou, mutilou e me aprisiona. Com o passar dos anos a minha pele confunde-se com a sua epiderme criando uma nova fronteira tao efémera como a minha. A pedra representa-se e confunde-se na sua fragilidade com a condição humana. Com o tempo a epiderme cristaliza-se na minha, e entranha-se criando novos limites e fronteiras difíceis de ultrapassar.

 No inicio é sempre a matéria, depois uma lenta e paciente luta com o limite do material. Por vezes a ansiedade leva ao erro. A materialidade é também essência, o objeto é conceito. A pele é a fronteira do corpo no espaço e no tempo, Mas também é um muro que nos separa do universo, onde a memória é como o pó do mármore, leve de uma leveza insustentável.

Com “Histórias da minha pele” dou continuidade ao projeto “pele da minha pele”.
Cada intervenção escultórica, é um fragmento de memória ligada física e espiritualmente com a anterior. Fragmentos no tempo de uma experiencia interior materializadas no mármore (eu pele), não como necessidade de perpetuar (per petram), mas sim de expor a fragilidade da nossa condição através da epiderme do material, num fluxo que vive no ritmo do movimento, na forma e na luz, uma verdadeira linguagem do sensível. No processo, o frágil e efémero estão presentes, o material levado ao limite da resistência e tensão cede, desagrega-se criando um todo processual onde o acidente também é resultado estético.
Estas narrativas parciais são articuladas e constituem um caminho que se vai fazendo, como uma construção progressiva no devir de obra em obra no espaço e tempo de cada exposição.

Descriçäo Imagem

s/título, (projeto pele da minha pele), mármore de Pardais, Vila Viçosa, 24,5x250x9 cm ( 5 peças com 24,5x50 cm cada), 2018

 

untitled, (skin of my skin project), marble, 24,5x250 cm (5 pieces with 25,5x50x9 cm each), 2018

17

With “Stories of my skin” I give continuity to the project “Skin of my Skin”.

Each sculptural intervention is a fragment of memory connected physically and spiritually with its previous ancestor. The fragments in time of a spiritual and interior experience are materialized through the marble (eu-pele). With no need to perpetuate(Per petram), it exposes the fragility of our condition through the epidermis of the material, in a flux that lives through the rhythm of the movement, through the shape and light, a real and truthful language of the sensitive. In the spoken process, the fragile and ephemeral are always present. The material is taken to the limit of its resistance, so much that tension gives in and the material disaggregates. Then it creates a process where the accident contributes to the aesthetic of the work itself.

This partial narratives are articulated and contribute to a self-made path like a progressive construction in the beginning of my works in space and time of each exposition.